Indignados, trabalhadores garantem assembleias participativas



Indignados, trabalhadores garantem assembleias participativas

As assembleias para avaliação e votação das propostas da Cemig para o ACT e PLR prosseguem a todo o vapor nesta terça-feira, dia 14. As assembleias que tratam  da PLR serão encerradas nesta terça, as do ACT continuam até o dia 17.

O grande exemplo que a categoria eletricitária está dando é a garantia de assembleias participativas. O Sindieletro está esclarecendo dúvidas e analisando com os trabalhadores  os impactos das  propostas para renovação do ACT e para a PLR. E são propostas ruins. A proposta para o ACT retira direitos e não garante a cláusula de proteção à famigerada Reforma Trabalhista. Assim não dá!

Na assembleia da Itambé, os diretores do Sindieletro, Jairo Nogueira Filho e Carlos Augusto Torres, avaliaram que, apesar da Cemig desistir de  retirar direitos na Linha Viva e nas horas extras, a empresa elimina a cláusula do PDI conquistada anteriormente  no Acordo Coletivo de Trabalho que assegura aos trabalhadores que aderirem o direito de recorrer à Justiça para buscar os passivos trabalhistas e os direitos de Forluz e Cemig Saúde. Além  disso, reduz a verba do PCR e retira as horas extras em feriados e finais de semana para os eletricitários convocados para trabalhar. Pelo atual ACT, os eletricitários têm a garantia mínima de três horas extras se chamados para trabalhar em feriados e finais de semana, independe do tempo que ficar em serviço. 

PLR

Na assembleia para avaliaçao e votação da proposta de PLR os trabalhadores insistem que é preciso a empresa considerar a proposta que eles deliberaram em outras assembleias. Os eletricitários lembram que PLR quer dizer Participação nos Lucros e Resultados. Portanto, tem que ser paga sobre resultados também, não apenas sobre lucro, como quer a Cemig.