Pela Revogação da Terceirização e do desmonte da CLT

12 de Setembro de 2017 às 10:09

A Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG), sindicatos e entidades CUTistas lançaram, na quinta-feira, 7 de setembro, durante o 23° Grito dos Excluídos e das Excluídas, em Belo Horizonte, o Projeto de Lei de Iniciativa Popular pela Revogação da Reforma Trabalhista e a Terceirização.

A coletia de assinaturas, que começou em todo o país, é contra a nova legislação Trabalhista que entra em vigor no próximo dia 11 de novembro. A CUT/MG também particpa da Campanha em Defesa dos Serviços e dos Servidores Públicos e contra a Privatização.

O 23º Grito dos Excluídos e das Excluídas teve como tema "Vida em primeiro lugar: Por direito e democracia, a luta é todo dia!”.

"A CUT lança esse projeto e vai dialogar com o povo em busca do apoio popular contra a reforma trabalhista e contra o projeto que tornou a terceirização sem limites. A CUT está no lugar onde sempre esteve: nas ruas e buscaremos as assinaturas necessárias para pressionar e dizer que aquela Congresso corrupto, machista, homofóbico não nos representa. Vamos às ruas. Nós não desistiremos. Enquanto existirem os golpistas, nossa luta será incessante, inabalável', disse Beatriz Cerqueira, presidenta da CUT/MG.

Beatriz Cerqueira também compartilhou as próximas ações da Agenda de mobilizações, ações e atos que chamou de Primavera de Lutas. "Na próxima terça-feira, 12 de setembro, às 15h30, teremos ato e audiência pública na Assembleia Legislativa em Defesa das Instituições Federais de Ensino, que vêm sendo sucateadas pelos golpistas, com corte de verbas. No dia 14, às 17 horas, será realizado ato do Dia Nacional de Luta, na Praça Afonso Arinos. Não podemos sair das ruas, A luta tem que ser feita cotidianamente. Seguiremos nas ruas e teremos uma Primavera de Lutas. Nenhum direito a menos."

Projeto de lei

A meta da CUT é que mais de 1,3 milhão de brasileiros assinem o documento que será entregue à Câmara dos Deputados. O passo seguinte é pressionar os deputados a votarem o texto que revoga a proposta do ilegítimo Michel Temer (PMDB) que acabou com diversos direitos trabalhistas.

O objetivo do Projeto de Lei de Iniciativa Popular é fazer com que essa medida se some a outras 11 leis revogadas por meio desse instrumento. A Constituição Federal permite que a sociedade apresente uma proposta à Câmara dos Deputados, desde que seja assinada por um número mínimo de cidadãos distribuídos por pelo menos cinco Estados brasileiros.

Fonte: CUT Minas

Rua Mucuri, 271 , Bairro Floresta, Belo Horizonte MG, CEP: 30.150.190
31 3238-5000