Sindieletro intensifica ida à base para debates

16 de Fevereiro de 2017 às 08:30

O Sindieletro iniciou na segunda-feira (13) mais uma série de reuniões setoriais para discutir com os eletricitários os principais desafios da categoria neste momento. O debate sobre as mobilizações necessárias e urgentes para pressionar a Cemig a negociar a PLR e para lutar contra a Reforma da Previdência vai se aprofundando. Também nas setoriais os trabalhadores discutem os assuntos específicos de cada local de trabalho, sobretudo os que envolvem pressões e assédios.

Já chega de esperar a empresa decidir quando haverá negociação da PLR! Passou da hora da categoria ter resposta! Mas que ninguém se iluda: para a Cemig negociar o mais rápido os trabalhadores sabem que precisam ir à luta, reagir à altura do desprezo da empresa com a PLR e outras pautas de interesse da categoria.

Sobre a Reforma da Previdência, a PEC 287 está prestes a ser votada pela Câmara dos Deputados. Essa famigerada PEC vai dificultar o máximo a aposentadoria dos trabalhadores brasileiros, incluindo todos nós. Pelas propostas colocadas para a Reforma, cerca de 80% dos brasileiros serão prejudicados. Quem conseguir se aposentar vai trabalhar mais e receber menos.

Para conseguir a aposentadoria integral o trabalhador precisará trabalhar 49 anos. Homens e mulheres se aposentarão com 65 anos. As viúvas ou viúvos receberão apenas metade da pensão e não poderão acumular a pensão com a aposentadoria. Muitas aposentadorias e pensões ficarão abaixo de um salário mínimo. Em resumo: o povo brasileiro vai trabalhar mais e ficar mais pobre.

Ato denuncia práticas antissindicais e assédio moral no Q14

Durante a setorial realizada no Quarteirão 14 (Cidade Industrial), na segunda-feira (13), os trabalhadores realizaram um ato em apoio ao eletricista e diretor do Sindieletro, Evander Elias de Oliveira, que é alvo de práticas antissindicais e assédio moral.

Ele, que é eletricista da empresa há 25 anos, foi afastado de suas funções e em seu lugar foram colocados trabalhadores de empreiteira. O sindicalista já foi designado para fazer serviços de separação de sucata, e fica grande parte do tempo isolado no Q. 14. Sua saúde está sendo afetada.

Os companheiros de trabalho se solidarizam com Evander e cobram que a Cemig lhe garanta dignidade.

Durante a setorial realizada no Quarteirão 14 (Cidade Industrial), na segunda-feira (13), os trabalhadores realizaram um ato em apoio ao eletricista e diretor do Sindieletro, Evander Elias de Oliveira, que é alvo de práticas antissindicais e assédio moral.

Ele, que é eletricista da empresa há 25 anos, foi afastado de suas funções e em seu lugar foram colocados trabalhadores de empreiteira. O sindicalista já foi designado para fazer serviços de separação de sucata, e fica grande parte do tempo isolado no Q. 14. Sua saúde está sendo afetada.

Os companheiros de trabalho se solidarizam com Evander e cobram que a Cemig resolva a situação e garanta a todos os trabalhadores condições dignas.

Rua Mucuri, 271 , Bairro Floresta, Belo Horizonte MG, CEP: 30.150.190
31 3238-5000